AGES - Casos Sobrenaturais

Página 1 de 40 1, 2, 3 ... 20 ... 40  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Sex Jul 17, 2015 4:05 am

Na Londres do século 21, mitos e lendas urbanas parece algo um tanto ultrapassado. No entanto, esses acontecimentos continuam a assombrar a cidade. A AGES (Agência de Gerenciamento de Eventos Sobrenaturais) lida com esses eventos, com seus agentes e especialistas, tentando a todo custo manter em sigilo da população sobre a sobrenaturalidade dos casos.
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Ter Jul 21, 2015 2:11 am


Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

Sexta feira noite, já se passava das nove da noite, ela já havia saído do trabalho e estava afim de beber, sabe aquelas vontades sem sentido algum que lhe dão de repente? Era bem isso que ela tinha sentido, tinha um bom tempo que não ia algum bar, encher a cara e depois voltar para casa, relaxava. Com o trabalho como o seu, que a fazia ver coisas que atormentam os humanos em seus pesadelos, que após acordarem se sentiam aliviados até tolos por ter medo de algo que supostamente não existe, mas ela sabiam que aquelas criaturas eram tão reais quanto ela mesma.
Já dentro do seu carro ela se dirigiu para o bar que a maioria dos agentes iam para esquecer os problemas e afogar as magoas. Cerca de vinte minutos depois, estacionou na rua do estabelecimento e saiu do carro, seguindo para o famoso bar irlandês Flogging Molly. Atravessou as portas do local e se direcionou para o bar, sentando-se em uma das banquetas e pedindo uma cerveja, até que ouviu uma voz conhecida e se virou para o lado, John, não era de se admirar que ele estivesse ali.
_ Onde está o Robin? _ perguntou para ele, já que os dois viviam grudados.



Peter Ives | Agente | 32 anos

Passava-se um pouco das nove da noite, era inverno e não iria demorar para começar a nevar naquela região, o clima frio sempre lhe dava uma estranha sensação de nostalgia.
Mas isso logo era esquecido quando o loiro se lembrava de que era sexta feira e ao invés de estar saboreando alguma bebida forte e de preferencia alcoólica, ali estava ele, sentando a frente da mesa do computador, monitorando alguns pontos da cidade...Que noite animada.
Ao menos teria uma companhia agradável e feminina, Jemma estava no computador ao lado, com alguns livros de história do Egito sobre a sua mesa, enquanto parecia atenta ao seu trabalho, a fitou por alguns instantes, aquela mulher era tímida e não falava muito.
_ Aceita um café Jemma? _ perguntou, afinal estava frio e eles não podiam beber em serviço.

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Ter Jul 21, 2015 2:14 am


John Constantine

Ele nem mesmo sabia em que dia da semana estavam.. Seria útil se tivessem dias de folga ou algo assim, mas a porcaria da agência nem isso lhes permitia. E de qualquer forma, não é como se o sobrenatural tivesse um horários comercial de funcionamento.

John Constantine simplesmente odeia seu emprego.

A única coisa boa é depois de sair da agência ir para o Flogging Molly, porque convenhamos: o única jeito de não se matar depois do ‘expediente’ é ficando bêbado o bastante para não se capaz de cometer suicídio (ele odeia muito, muito mesmo seu emprego).

Pegou a grande caneca de vidro cheia de cerveja escura e tomou um gole enquanto se perguntava quantas mais daquela seriam necessárias para que ele estivesse sentindo que ama todo o mundo. Ele seguia com algum cálculo mental complicado e inútil para tentar descobrir quantas outras canecas de cerveja precisaria quando sua linha de pensamento foi cortada por uma voz conhecida. Voltou seus olhos na direção da morena.

–Me diga você, Batwoman. – respondeu voltando a beber o líquido amargo em sua caneca –E o que traz a bru... – tosse forçada –A senhorita ao bar? Apenas querendo encher a cara? – perguntou com um gesto de sobrancelha no melhor estilo vilão de pay-per-view.

Dorian H. Gray

–Eu odeio meu trabalho.. – falou enquanto se deixava meio que deitar atravessada no balcão com as mãos esticadas pra frente –Me recorde por que eu me convenci a trabalhar aqui?

Mas ela sabia o porquê de trabalhar ali, havia gastado todo o dinheiro que tinha com festas nas últimas décadas e estava completamente falida... O que não mudava o fato de que ela odiava trabalhar lá. Nada de interessante acontecia. Não via caras e garotas bonitas indo no local para que ela pudesse flertar.

Imortalidade era uma droga!

–Sabe o que eu queria? – ela ia falando com a outra enquanto uns poucos clientes olhavam estranhados para a albina –Eu queria que algo acontecesse! Eu queria caras bonitos e garotas gostosas. Por que não temos isso aqui? – os clientes realmente olhavam a albina como se um terceiro olho houvesse acabado de crescer na testa dela –Eu quero festa!

Mas que inferno! Ela era Dorian Gray, não sobrevive sem festejar!
E agora estava presa em um trabalho onde nada acontecia...

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Ter Jul 21, 2015 2:27 am

Caron John Whirt | 33 anos | Agente

A porta de vidro do prédio de aparência comum se fechou atrás de Caron, mas ele não se virou para olhar. A noite já havia avançado e a neve ameaçava cair. Ficara trabalhando até tarde novamente. Em uma sexta-feira. Ele meneou a cabeça; não tinha jeito, era sempre assim que seus finais de semana começavam. Sua vida social era inexistente, mas ele não questionava ou reclamava. Gostava dessa solidão.
Bem, não era exatamente como se ele vivesse isolado do mundo, mas seus únicos contatos eram com seres sobrenaturais ou os outros agentes da AGES (falando sobre os seres sobrenaturais) então, às vezes, Caron se sentia como se não pertencesse ao mundo real.
Deus, o que era o mundo real afinal? O "mundo real" era aquele onde a realidade não era exposta. Mas ele sabia que havia um motivo para apenas um grupo seleto de pessoas saberem a verdade: justamente porque apenas um grupo seleto de pessoas consegue lidar com ela. Pessoas normais, civis, não conseguiriam lidar com isso. A maioria deles iria pirar na batatinha e se jogar de prédios e pontes ou simplesmente viver tão paranóico que nunca mais sairia de casa.
Ele balançou a cabeça e levantou a gola do casaco quando uma brisa noturna gélida soprou contra suas costas. Chega, ele pensou, Vou ir para casa, beber alguma coisa e descansar. Chega de pensar.
Passara o dia treinando novatos da AGES. Uma turma cheia, lotada. Ele sabia que até o final do semestre somente uma mão deles teria aguentado até o final. Nem todos foram feitos para o trabalho no campo. Grande parte dos candidatos ia trabalhar para alguma parte que não envolvia trabalho físico. Não era para menos, pois o trabalho era extremamente difícil e puxado. Lutar com criaturas sobrenaturais não era tão fácil quanto lutar com humanos ou criaturas naturais.


Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

As folhas amareladas dos livros antigos sempre encantaram Jemma. Talvez porque era muito mais fácil de ler com essa coloração, não cansava tanto a vista. Talvez fosse a imaginação dela que voava e pensava na história que o livro continha - não na história escrita nele, mas na história que ele continha. Livros antigos, que passaram de geração em geração, de mão em mão, folha a folha.
Como sempre, Jemma estava lendo sobre egiptologia. Ela esquecera-se do relógio de pulso, dos relógios dos computadores e do relógio de parede. O tempo simplesmente parecia não existir quando ela estava lendo. E, como se pode imaginar, ela acabava se perdendo nele por conta disso. Já havia passado e muito da sua hora de ir embora, mas ela estava tão empolgada em sua leitura que no fundo da sua mente ela ficava pensando "só mais um capítulo". Mas quando o capítulo acabava ela simplesmente começava outro.
Ela teve uma vaga ciência de quando os colegas foram embora algumas horas atrás e devido ao silêncio do local, achava que estava sozinha. Nem estava consciente da presença de Peter na sala.
Ela sentiu um gelo passar por sua espinha ao ouvir a voz dele vindo do computador ao lado. Medo. Sim, medo. Ela sempre ficava assustada quando era sobressaltada. Mas, por Deus, era só seu colega de trabalho, não um assaltante ou coisa pior. Ela só não esperava que mais alguém ainda estivesse na agência a essa hora.
Ela ergueu os olhos do livro e ajeitou o cabelo que caía em cascatas ao redor do rosto atrás da orelha.
- Sim, obrigada - ela lhe deu um sorriso tímido, a voz um pouco rouca pelas horas sem uso.

Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

Charles esfregava um pano úmido com sanitizante nas mesas do Shovel & Wolves Bar and Grill, cantarolando alguma música mentalmente, quando ouviu a reclamação da albina. Ela olhou para a outra com um sorriso nos lábios.
- Para ver a minha linda pessoa todo santo dia - ela disse.
Se aproximou do balcão e esfregou o pano por toda a extensão de mármore, fazendo o contorno por onde Dorian estava esticada. Estavam perto da hora de fechar, mas ainda haviam alguns clientes. Ela riu quando a outra reclamou da clientela e expressou seu desejo por festa. Jogou o pano listrado de azul e branco em um balde com sanitizante e água sob o balcão e se aproximou dela.
- Não se deite nesse balcão sujo - ela puxou a outra pela mão e fez ela dar uma voltinha sob seu braço. - Nós podemos ir à uma festa cheia de caras gatos. Há várias raves aqui, oras.
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Ter Jul 21, 2015 2:41 am


Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

Não demorou para uma ruiva lhe entregar uma caneca que transbordava cerveja, deu um gole, estava muito boa.
Escutou o loiro.
_ A dupla dinâmica da agencia são vocês _ fez o seu ponto, escutando o "bru" _ Bru...?
Ela deu mais um gole na bebida, realmente era o que precisava, aquele era sem dúvida o melhor pub da cidade.
_ Apenas vim relaxar, enchendo a cara _ admitiu, afinal que mal há? O único mal seria a ressaca do dia seguinte, mas nada que uma aspirina e um banho gelado não resolvesse.
_ E o que lhe trás aqui, querido? _ perguntou.



Peter Ives | Agente | 32 anos

A morena pareceu se assustar com a pergunta dele ou melhor com a presença dele ali no recinto, seria possível que ela não o tinha visto mesmo ele estando ali há horas?
Jemma lhe parecia distraída, aquele tipo de pessoa que mergulha no que está fazendo e esquece o mundo a volta. Por fim, ela lhe respondeu e ele se levantou indo até a máquina de café, pegando um extra forte para ele e um simples para ela, segundos depois voltou para a sua cadeira, lhe entregando o copo com a bebida quente e um sache de açúcar.
_ Está estudando o que? _ perguntou, provando da bebida.

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Ter Jul 21, 2015 2:52 am


John Constantine

Logo Dome servia a morena com uma caneca de cerveja tão grande quando a dele mesmo. Riu ao ouvi-la dizer que eles eram a dupla dinâmica da agência, e o loiro sinceramente duvidava muito.
–Aham, claro. Isso é o que você diz. – falou antes de tomar outro gole -Quando eu olhei pro lado e te vi aí sentada eu achei que tinham te mandado para me avisar que eu fui demitido... De novo. – ele contava depois dela dizer que só estava ali para beber –Seria... A quarta vez esse ano, eu acho. Decidi parar de contar. – o descaso com o qual ele falava aquilo era notável.

Olhou a garota bebendo e então um grande e cínico sorriso surgiu em seu rosto. Pegou o celular e a puxou pelos ombros tirando uma foto dos dois e enviando por mensagem para Peter com a seguinte mensagem “Heeeey Jake! Tente adivinhar onde estamos? Aproveite a hora extra x’D”.
Sim ele só estava provocando o outro que estava trabalhando ainda.

Escutou a pergunta dela.
–Eu descobrir que a melhor maneira para evitar cometer suicídio com o trabalho que temos é estar bêbado demais para conseguir se matar. – explicou seu “método de sobrevivência”.

Dorian H. Gray

Ouviu a resposta de Charles e isso a fez rir um pouco.
–Sim, sim. – falou quando parou de rir –Desculpe por ter esquecido que eu aqui eu posso ver sua adorável bundinha todo santo dia. – provocou a outra.
Dorian simplesmente não perdia a chance de fazer o possível para constranger as pessoas a sua volta, mas com tempo os que conviviam com a albina acabavam por se acostumar com isso e já nem se importavam, o que a fazia se entediar ainda mais.

Escutou o aviso para não se deitar no balcão sujo... Charles tinha TOC, a albina estava quase certa disso. E esse pensamento a fez rir, um riso nasal e meio idiota daquele que as pessoas só dão quando se trata de alguma piada interna.
Se deixou ser tomada pela mão da outra e foi saindo de onde estava.
Não demorou para um dos clientes erguer a mão indicando que queria mais café. Foi até a mesa com a jarra de vidro da cafeteira.

–Sério? Mais café? Isso vai encurtar sua vida e me fazer ficar além do expediente. – el falava pro cliente –Por que ao invés de uma xícara você não pega um café grande pra viagem? – perguntou para o cliente com um sorriso grande e sarcástico de lábios comprimidos que desapareceu em um careta quando ouviu o seu chefe pigarrear. O homem vivia lhe ameaçando de ser despedida se continuasse tratando assim os clientes.

Dorian chegou ao ponto de se voltar na direção dele para responder o homem que paga seu salário, porém quando viu ele já estava indo embora e lhe jogando a chave do lugar.
–Hoje vocês fecham, tenho compromisso. – ele falou antes de sair e as deixar ali com um pingo de clientes e a albina com uma expressão congelada entre .

–Sei muito bem que tipo de compromisso ele tem... – falou com os olhos semicerrados e um tom que deixava claro que a albina teria acertado a cara do chefe com a jarra que segurava se tivesse a chance.

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Ter Jul 21, 2015 3:04 am

Caron John Whirt | 33 anos | Agente

Enfiou as mãos nos bolsos e foi andando despreocupadamente para seu apartamento. Com o frio que fazia, ele estava começando a se arrepender de não ter vindo de carro, mas não fazia muito sentido já que não morava tão longe da agência.

Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

Ela o observou se levantar e ir até a máquina de café, mas quando percebeu que o estava encarando, desviou o olhar. Não virou-se de costas para ele, ao menos, achou que seria grosseiro.
Bem, Jemma era assim mesmo. Cada ação sua perto de outro ser humano era calculada. Como agir? O que falar? Como falar?
Ela pegou o café que ele lhe ofereceu e o agradeceu em voz baixa. Rasgou o sache de açúcar e colocou tudo no copo; ela gostava do seu café doce.
Deu uma olhada por cima do ombro para o livro de páginas amareladas.
- Egiptologia - respondeu com um sorriso, instantaneamente animada pelo assunto. No segundo seguinte ela se recompôs, sabendo que a maioria das pessoas achava isso extremamente entediante.

Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

Charles meneou a cabeça com um leve sorriso enquanto observava o jeito com que Dorian tratava o cliente. Estava mais ou menos acostumada com aquele comportamento. Por mais que o visse, ela não conseguia entendê-lo.
O chefe delas jogou as chaves sobre o balcão e Charles as pegou. Toda sexta-feira à noite elas tinham de fechar o lugar. Soltou um suspiro cansado, olhando as pessoas que aparentemente não faziam a menor questão de ir embora e não expressavam a menor pressa tampouco.
Ela deu graças a Deus mentalmente quando um casal se levantou e começou a ir em direção a porta depois de deixar algumas notas em cima da mesa. Aproximando-se, ela pegou as notas e as contou. Porcaria, mal haviam deixado gorjeta.
- E o que você vai fazer nesta maravilhosa noite de sexta-feira, Dorian?
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Ter Jul 21, 2015 3:21 am


Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

O viu rir enquanto tomava a sua cerveja, ela não se embebedava fácil e chegava a ser incrível o quanto que alguém da estatura dela poderia beber tanto sem se quer engordar ou começar a ver os lupa lupa dançantes.
_ Isso é que todos dizem _ falou, dando outro gole na cerveja _ Eu acho que se você  chegasse na hora, não reclamasse tanto e fosse um pouco mais frequente, isso não iria acontecer, querido _ disse com certa maldade, mesmo que fosse verdade.
Ela a puxou pelos ombros e ergueu o celular para bater uma foto e ela apenas ergueu a caneca para a câmera, logo depois vendo a mensagem que ele escrevia...Aquelas duas pestes.
Ouviu a teoria dele e bem tinha sim uma certa razão.
_ É uma boa técnica, eu prefiro virar a noite com muito café e talvez compondo alguma coisa para não perder o hábito _ falou, terminando de beber a sua cerveja e pedindo outra.



Peter Ives | Agente | 32 anos

A tensão dela era perceptível ou talvez ele que prestava muita atenção as reações das pessoas,  abriu o sache e despejou o açúcar na bebida, logo bebendo da mesma.
Escutou a resposta dela, ele tinha notado que ela estudava muito sobre o Egito desde...Sempre.
_ E o que te deixa tão fascinada pelo assunto? _ perguntou, ele não entendia muito sobre aquilo, tecnologia, trapaça e armas era o seu assunto o resto....
Escutou o som de mensagem do seu celular e o tirou do bolso, logo vendo a foto da psicótica (que por Deus não descobrisse que ele pensava isso) e do cachorro do John.
_ Cachorro.

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Ter Jul 21, 2015 3:33 am


John Constantine

Olhou amorena com os olhos semicerrados enquanto ela falava o que ele devia fazer para não ser demitido. Pelo visto ele não deixava claro o bastante o quanto ele não dava a mínima pra se trabalhava pra AGES ou não.
Claro.. ele precisava do salário, já que as coisas que ele fazia não eram exatamente legais...

–Você é muito cruel para alguém tão pequeno. – falou ainda com os olhos semicerrados e a encarando como se ela fosse o mal encarnado naquele corpinho (e ele tinha quase certeza de que era isso mesmo. Isso ou ele bebeu muito nas últimas quatro horas...)

–Mas sabe, amor.. – ele tinha noção de que ela odiava mais ouvi-lo chama-la de ‘amor’ do que se ele a chamasse de ‘bruxa psicótica’ que é como ele e Jake (que na verdade chama Peter) se referem à ela quando a moça não está por perto –eu não ligo, isso meio que te dá um ar de femme fatale. – ele realmente não media as palavras, e sabia que em algum momento ela ia se irritar de verdade e tentar mata-lo, mas... Se não provocasse alguém até a pessoa apontar uma arma pra ele ao menos uma vez por dia não seria John Constantine.

Escutou ela falar como evitava a vontade de se matar que o trabalho deles constantemente causava nas pessoas.
–Eu não sabia que você tocava.. – comentou.

Dorian H. Gray

Foi até onde estava Charles recolhendo as notas na mesa e notou que não havia gorjeta praticamente, aquilo a deixou possessa. Já não bastava que estavam trabalhando até aquela hora o cara ainda saí sem deixar um gorjeta decente?!

–Hey! Hey! – ela meio que gritou chamando a atenção do cliente que saía com a possível namorada ou algo assim, o homem se virou e olhou a albina enquanto apontava para si mesmo como se perguntasse se era com ele que ela estava falando –É você mesmo, babaca.
Dorian ia até o homem que estava parado olhando pra ela sem entender enquanto eram assistidos pelos poucos clientes que sobraram no lugar.

–A garota de cabelo colorido te atendeu mal? Ela foi sem educação como eu pretendo ser? Você não vai com a cara dela? – a albina ia jogando uma pergunta atrás da outra.
–N-não.. Não. Problema nenhum.. – o homem respondia em voz baixa.
–Fala alto se quiser que alguém te escute.
–Não. – ele repetiu mais alto dessa vez.
–Então porque você deu aquela porcaria que nem mesmo pode ser considerada uma gorjeta? – o cara tentou responder algo, mas gaguejou, e se gaguejou ela sabia que que havia ganhado –Estamos trabalhando até além do expediente, o mínimo que você como cliente devia fazer é reconhecer isso e dar à ela uma gorjeta decente.
O cara enfiou a mão no bolso e puxou a carteira tirando de lá uma nota de vinte libras e estendendo para a albina. Dorian apenas a pegou e o olhou com a sobrancelha arqueada como que exigindo que fosse mais, isso fez o homem lhe entrar mais vinte libras.
–Agora sim. – ela abriu um sorriso amigável –Tenham uma boa noite. – ela completou isso com um sorriso e tom totalmente gentil e profissional, nem parecia a mesma que obrigou o cliente a dar uma gorjeta bem maior do que o normal.

Viu o casal sair do local que estava mergulhado em silêncio e do lado de fora a mulher que acompanhava aquele cara bater no ombro dele com força.
–Alguém não vai ter sexo essa noite... – comentou maldosa.

Enfiou as notas na latinha de gorjetas e olhou os outros clientes.
–E que isso sirva de aviso.

Pensava em como responder a pergunta de Charles.
–Não tenho ideia do que fazer hoje. – ela voltava a se debruçar sobre o balcão agora limpo –O que acha de sairmos e ir pra algum lugar? Tipo uma casa noturna... Alguma Rave.. – sugeria –Afina algo me diz que hoje vamos lucrar com essas últimas gorjetas. – ela dizia com um sorriso que poderia ser considerado maligno enquanto olhava para os clientes restantes que pareciam não querer passar pelo mesmo que o casal passou.

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Ter Jul 21, 2015 3:46 am

Caron John Whirt | 33 anos | Agente

*preguiça de narrar um monólogo dele andando sozinho no frio*

Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

Deu um gole no café e queimou a língua, sem pensar que poderia estar quente. Estava completamente atordoada por estar falando com outro ser humano. Soprou o café e só depois deu outro gole.
Ela pensou brevemente sobre o que a interessava tanto sobre o assunto.
- Bem... - ela cruzou as pernas e envolveu o copo com as duas mãos. - Além de terem fatos históricos interessantíssimos, a religião, mitos, lendas, essas coisas, são simplesmente fantásticos.
Ela ouviu o celular de Peter apitar e então depois de alguns segundos olhando a tela do celular ele falou "cachorro". Ela deu mais um gole no café e ficou encarando o copo.

Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

Enquanto Dorian arrancava o dinheiro da sua mão e insultava os clientes descaradamente ela ficou meio imóvel. Queria impedir Dorian de fazer isso - e ficou se sentindo realmente mal por não ter feito -, mas ela realmente precisava da gorjeta e, além disso, ela tinha um pouco de medo da garota quando ela se desembestava a agir desse jeito.
- Desculpe! - ela gritou para o casal antes da porta bater. Olhou ao redor, para os poucos clientes, que olhavam assustados para Dorian e lançavam olhares duvidosos para Charles.
Aproximou-se da garota de cabelos brancos e inclinou a cabeça para o lado, deixando os ombros caírem. - Isso não foi certo, Dorian. Você vai acabar fazendo com que nós duas sejamos demitidas - ela pegou um pano de prato e bateu de leve na albina. - Sua besta - ela riu levemente. - Eu topo ir para algum lugar, só precisamos esperar para fechar aqui.
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Ter Jul 21, 2015 4:02 am



Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

Fingiu não notar a forma que ele a olhava, era engraçado ver o efeito de poucas palavras bem direcionadas e sim, ela se divertia as custas dele e do Jake.
_ Eiii eu não sou tão pequena assim, tenho um e sessenta e cinco _ se defendeu, pegando outra caneca cheia de cerveja. _ Porque está me olhando assim?
Escutou o 'amor' e o fuzilou com os olhos, ele sabia que aquilo a irritava, contendo o impulso de revirar os olhos ao escutar 'femme fatale'.
_ Eu não sabia que gostava de mulheres perigosas, querido _ e sim, ela ignorou a parte que sensual de femme fatale, e partiu logo para o lado perigoso, em um claro aviso de um dia iria bater a cabeça dele naquele balcão. Mas não estava brava, na verdade era difícil ela se irritar de verdade.
Seu olhar se suavizou novamente.
_ Eu nunca te contei? _ perguntou se referindo a ser pianista, ela não era muito de falar sobre si, não achava que tivesse algo de interessante para contar.
_ Eu era pianista, ainda toco em algumas noites.



Peter Ives | Agente | 32 anos

John iria pagar por zombar de seu sofrimento naquela noite fria e quase solitária e sim, ele era esse tipo de criatura dramática que tinha o dom de infernizar a vida alheia, apenas para passar o tempo.
Guardou o celular e escutou a resposta da pequena.
_ Acho que minha irmã iria adorar te conhecer, ela gosta muito dessas coisas _ ele também, só que tinha preguiça _ Tem algum mito que goste em especial?

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Ter Jul 21, 2015 4:16 am


John Constantine

Ouviu ela falar que tinha um e sessenta e cinco, isso o fez rir maldoso enquanto a olhava de cima a baixo e pegava a caneca para tomar outro gole da cerveja.
–Se você tiver um e sessenta já vai ser muito. – comentou apenas para ser mau com ela por causa das maldades que ela lhe disse antes. Por que sim, ele é o tipo de pessoa que pode ser até mesmo considerado infantil em determinados assuntos, sendo um deles se vingar de tudo que ela lhe diz.

–Estou te olhando normalmente. – respondeu –Ou o quão normal se pode olhar o mal encarnado... – completou entre dentes.

Riu quando a viu praticamente fuzilá-lo com o olhar, adorar irritá-la daquele jeito, era quase um esporte para o loiro.
–Existem muitas coisas que você não sabe sobre mim, ficha criminal e o tipo de mulher que me atraí são algumas dessas coisas que você não sabe. – falou a olhando com o mesmo sorriso cínico que reservava ara essas conversas.

Agitou a cabeça em negativa quando ela perguntou se não havia lhe contado, ao menos até onde ele podia lembrar ela não havia dito nada sobre ser pianista.
Ela era pianista... ele teve uma banda. Mas nunca, jamais, em hipótese alguma deixaria a psicótica descobrir.

Dorian H. Gray

Escutou Charles se desculpar e isso fez a albina revirar os olhos antes de focá-los na outra com as sobrancelhas arqueadas.
–Charles, se você se desculpar para o mundo por cada coisinha que eu fizer você vai gastar suas cordas vocais e não vai completar o intuito. – falou para fazer a garota ficar mais tranquila –Relaxa, não é como se fossem demitir nós duas, apenas eu seria demitida, e no dia seguinte ele já estaria desesperado me procurando par que eu voltasse a trabalhar aqui, já que não conseguiria fazer os clientes irem embora quando quer fechar. – ao menos para algo a personalidade intragável da albina servia.

Dorian não tinha medo de falar o que queria ou mesmo de agir da forma como bem entendia. Até onde ela pode comprovar nada que atinja seu corpo pode matá-la. E a única coisa que pode por em risco sua vida está protegida e um cofre cuja chave ela é a única proprietária.

–Agora relaxe e se solte. Guarde minhas palavras: ainda vou viver para ver você gritar com alguém como eu faço. – riu quando foi acertada pelo pano de prato.

Assentiu sobre irem para algum outro lugar depois de fechar, e conforme as horas passavam os clientes seguiam indo embora até restarem apenas três e Dorian já estava a ponto de chutá-lo porta a fora quando deixou seus olhos correrem preguiçosos na direção da janela e vendo a silhueta de algo passar. Algo grande.
–Charles! – chamou a outra –Você viu aquilo?

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Ter Jul 21, 2015 4:25 am


Caron John Whirt | 33 anos | Agente

*preguiça de narrar um monólogo dele andando sozinho no frio*


Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

- Mesmo? - ela sorriu de lado. Era sempre interessante saber de pessoas que se interessavam por esse tipo de coisa. Elas não eram muito fáceis de se acharem. - Bem... Não é exatamente um mito, mas eu gosto bastante do Livro dos Mortos.
Ela ficou um pouco encabulada em admitir isso, mas falou antes que pudesse se conter.
- É... Fascinante ver a perspectiva deles sobre a morte - falou em tom apologético.


Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

Ela ia começar a protestar contra as afirmações de Dorian, mas resolveu não perder tempo. A garota era teimosa.
- Eu gritando com alguém? Não, acho que não, Dorian - ela falou mais para si mesma do que para a albina.
As horas foram passando e Charles ficou ocupada recolhendo as mesas, limpando o lugar, lavando a louça, mas a sua mente não estava ali. Ouviu Dorian a chamar e olhou para a garota.
- O quê? - ela olhou para fora. - Não, eu não vi nada. O que foi que você viu?
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Ter Jul 21, 2015 4:44 am


Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

_ Você não deve estar enxergando muito bem, a bebida está turvando a sua visão _ foi a sua resposta quando ele disse que ela nem chegava a ter um e sessenta, de fato ele era bem maior, o mundo era injusto ela queria ser alta.
O fitou descrente.
_ Mal encarnado? Que exagero, eu sou quase um anjo só falta a aureola e as asas _ falou com uma certeza absurda, que quem não conhecesse até acreditaria.
Ele riu.
_ Eu já vi a sua ficha criminal Jake me mostrou _ na verdade ela o obrigou a invadir o banco de dados da polícia, apenas porque estava entediada _ Qual o tipo de mulher que lhe atraí? Alguma stripper? Melhor, aposto que gosta das santinhas, só para ter o prazer de tirar a sua pureza _ disse divertida, apenas para alfinetá-lo e tirara quele sorriso cínico do rosto, voltou a beber a sua cerveja.
_ Você está fazendo aquela cara, querido...



Peter Ives | Agente | 32 anos

_ Sim, ela tem um interesse particular pela mitologia deles _ confirmou comum sorriso de canto, volta e meia olhando para o monitor. Ela realmente parecia animada ao falar sobre aquilo.
_ Eu li uma vez que alguns corpos tinham heliógrafos gravados na pele, é verdade? _ perguntou, já que a internet não era bem o lugar da informação super segura.

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Ter Jul 21, 2015 4:56 am


John Constantine

–Tenho certeza que estou enxergando perfeitamente bem. – falou para a garota –O problema aqui é que você não quer admitir o tamanho que tem. Pode falar, eu não vou rir. Você tem o quê? Um e cinquenta? – ele perguntava com o sorriso maldoso de volta aos lábios.

Quando a escutou dizer que era um anjo ele meio que engasgou com a cerveja e começou a rir, não que fosse engraçado, era um riso sarcástico.
–Não esqueça de esconder os chifres e a cauda, amor. – respondeu com um tom que era uma cópia carregada de ironia do tom que ela usou.

–Aquele desgraçado... – falou quando ouviu que Jake tinha mostrado pra ela a ficha criminal dele. Aquilo teria volta...
Riu quando ela começou a falar sobre o tipo de mulher que o atraía. Ela achava mesmo que conseguiria constrange-lo dizendo aquilo? Se achava então definitivamente não o conhecia. Tomou mais um gole logo pousando a caneca vazia sobre o balcão e esperando que a ruiva enchesse pra ele.
Olhou a morena como se a avaliasse, e sabia que ela ia notar como ele a olhava, essa era a intenção.
–Depende, amor. Eu não me importaria de tirar toda essa suposta pureza de você. – falou absolutamente cínico, e sim, ele sabia que ela era uma louca psicótica que não deixaria aquilo sair barato, mas irritá-la fazia valer a pena –E não estou fazendo cara alguma.

Dorian H. Gray

–Vai por mim, um dia ainda vamos conhecer alguém que te tire completamente do sério, já que eu mesma não consegui fazer isso. – brincou.

Charles disse que não havia visto nada, e isso fez Dorian se questionar se realmente havia visto algo estranho além da janela ou se era efeito retardado de todo o ópio que consumiu no início de sua vida ao conseguir o retrato...
–Acho... Acho que não foi nada.. – falou ainda olhando a janela onde a silhueta estranha havia surgido.
Precisavam terminar a limpeza do local se quisessem fechar logo e ir para qualquer outro lugar mais interessante.

Mais um dos clientes foi embora restando apenas dois. A albina foi até a mesa limpar tudo e pegar o dinheiro e a gorjeta constatando feliz que dessa vez era uma gorjeta alta, os clientes realmente estavam cooperando..
Nem mesmo olhava na direção da porta porém foi pouco tempo até escutar algo que talvez houvesse sido o início de um grito, algo bateu contra a porta de entrada a fazendo um barulho alto, mas não dava pra ver o que era. A albina deu dois passos na direção até sentir que pisava em algo pegajoso, o cheiro era familiar. Quando seus olhos foram para o chão percebeu que havia sangue entrando por baixo da porta... Muito sangue.

A primeira coisa que passou por sua mente e que deviam fazer silêncio para não atrair o que quer que fosse que fez aquilo com o rapaz que havia saído. Porém assim que os outros clientes viram o sangue ela os escutou gritar.
–Merda... – falou quando escutou outra batida alta contra a porta.
Quem ou o que quer que seja, quando entrasse teria a albina na linha de frente, não que um serial killer fosse conseguir mata-la, afinal os danos seriam absorvidos pelo retrato mas ainda assim... Droga.. Ela odeia ser assassinada.

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Ter Jul 21, 2015 5:07 am

Caron John Whirt | 33 anos | Agente

*preguiça de narrar um monólogo dele andando sozinho no frio*

Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

Ela não pôde conter um sorriso. - Hieróglifos - ela o corrigiu. - Sim, é verdade. Eu acho que a AGES lidou com um caso desses há muitos anos, mas eu não tenho certeza. Ninguém tem, na verdade. Você sabe como é a agência, tudo muito misterioso.
Ela deu de ombros e deu outro gole no café.

Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

A garota de cabelos coloridos ficou pensando no que a outra falou. Alguém que a tirasse do sério? Ela pagaria para ver.
Continuava entretida com a limpeza quando ela ouviu Dorian praguejar e os últimos dois clientes gritarem. Com o susto ela deixou um prato que segurava cair dentro da pia e instintivamente - malditos instintos! - tentou segurá-lo, cortando a palma da mão. Arquejou e pegou um pano de prato, pressionando contra a mão machucada enquanto corria para perto de Dorian.
- O que foi?!
Então ela olhou para o chão e viu aquela quantidade imensa de sangue. Sentiu-se meio enjoada com aquilo; não podia acreditar no que estava vendo. Aquilo era realmente sangue? O que diabos estava acontecendo?
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Ter Jul 21, 2015 5:22 am


Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

_ Acho que deveria parar de beber querido, toda essa insistência de que eu sou mais baixa do que a realidade deve ser causa de algum tipo de fetiche estranho por mulheres que parecem crianças...Por acaso é um lolicon? _ indagou, piscando os olhos âmbar como se realmente quisesse saber a resposta para aquilo.
Ele riu, quase se engasgando com a cerveja.
_ Hahaha mas ele é tão engraçado _ resmungou, voltando a dar um gole em sua bebida.
Ele riu mais e a olhou como se estivesse fazendo a "checagem", desgraçado...Fingiu não se importar, apesar de aquilo era sim desconcertante.
Ela ergueu a mão como se fosse lhe dar um tapa no rosto, mas fez bem o contrário, afagou o rosto dele e o olhou com o mesmo cinismo que ele. Era bem aquele ditado "antes da tempestade vinha a calmaria".
_ Eu realmente acho mesmo que está bebendo demais, querido, está revelando seus pensamentos pervertidos _ disse, retirando a mão e voltando a beber, mas aquilo teria volta.
_ Está fazendo aquela cara de mafioso italiano que perdeu o seu brinquedo preferido _ apontou, pedindo outra rodada _ Que tal uma aposta?



Peter Ives | Agente | 32 anos

Acabou rindo com o erro que cometeu.
_ É fácil achar informações nos arquivos _ disse para a menor, ele poderia pesquisar para ela aquilo depois, visto que a mesma tinha verdadeiro interesse.
Ia dizer mais alguma coisa, quando viu o brilho vermelho do alerta piscar, virou para o seu computador, deixando o café de lado e rapidamente levando as mãos ao teclado e pegando a localização. Retirou o celular do bolso e discou o número de John.
_ Ligue para Caron, ele está perto da atividade _ pediu para a morena.

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Ter Jul 21, 2015 7:15 pm


John Constantine

–Não é insistência, é a verdade, quem insiste que é mais alta que na realidade é você. – falou enquanto a velha Domeana lhe passava uma caneca cheia de cerveja –Não sou um lolicon, ou seus seios não me atrairiam. – falou com um sorriso de canto absolutamente cínico, sabia que mesmo que ela jamais admitisse ficava sim constrangida, dava pra notar pelo jeito como ela sempre procurava olhar para qualquer outra direção sempre que ele fazia um desses comentários –Sem contar que da dupla dinâmica, o lolicon é o Jake. Eu sou apenas o galinha. – falou como se fosse a coisa mais natural do mundo.

Quando ela ergueu a mão ele olhou levemente assustado esperando por um tapa, talvez até mesmo um soco, ou quem sabe ela segurasse seu cabelo e batesse a cabeça dele contra o balcão repetidas vezes... (quando eles diziam que ela era psicótica não estavam mentindo).
Porém ao invés disso recebeu um afago, o que o assustou mais do que se ela tivesse sido violenta.
–Eu não estou revelando pensamentos pervertidos. Sua blusa marca seu sutiã e revela coisas que geram meus pensamento pervertidos, é diferente. – fez seu ponto apesar do medo de morrer que vinha com esses comentários que ele era incapaz de guardar para si.

A olhou com a sobrancelha arqueada com a comparação que ela fez a respeito de sua expressão. Contudo aquilo de aposta chamou sua atenção.
–Fale mais sobre a aposta, amor. Isso me interessou..
Ouviu seu telefone tocar e o pegou vendo que era Peter. Atendeu já esperando que o outro fosse xingá-lo pela foto.
–Pode falar..

Dorian H. Gray

Escutou o barulho do prato se partindo e soube que foi Charles, isso apenas fez a albina olhar assustada na direção da garota de cabelo colorido.
Diferente de Dorian, Charles não iria sobreviver se a pessoa ou coisa, ou só os deuses sabem o que estava além da porta a atacasse. A garota morreria e não teria volta, e Dorian definitivamente não queria ver outra pessoa com quem se importa morrer na sua frente. Ver o lindo vermelho do sangue manchar as mãos pálidas de carmesim, e o cheiro doce e metálico que impregnaria o ar enquanto assiste a luz se esvair dos olhos da garota...
Não!
Não podia pensar assim. Ela não é mais assim. Já se conformou com sua incapacidade de se ferir e de morrer, não precisa mais, não tem mais aquela ânsia em ver a morte dos outro e se deleitar nela por ser incapaz de ter a sua própria.

–Charles... Se esconda. – falou para a outra –Agora! Vai e se esconde! – a albina não teria forças para salvar a outra ou se forçar a fazê-lo, tinha medo de sucumbir ao velho desejo e atração que sentia na morte alheia e não conseguir fazer nada para salvar a amiga.

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Ter Jul 21, 2015 10:32 pm

Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

Ela ergueu as sobrancelhas para ele meio descrente. - Fácil? Eu não acho fácil - ela riu. - Mal consigo me entender com a minha torradeira.
Viu o brilho na tela do computador de Peter, mas não olhou, ficou somente aguardando por informações. Assentiu e conforme ele ia falando já foi tirando o celular do bolso e discando o número de Caron.
- Agente Willberg - ele a cumprimentou. - Por favor, me diga que está me ligando para me dizer que só esqueci alguma coisa.
- Ahn, não - ela fez uma careta, mesmo que ele não pudesse ver. - Peter detectou alguma atividade perto de onde você está.
Ele não estranhou o fato de ela parecer saber onde ele estava. A AGES sempre sabia onde seus agentes estavam.
- Que tipo de atividade? - ele suspirou e ela percebeu que ele estava cansado.
- Não sei, ele não disse.
- Ok, me passe o lugar certinho.
Jemma passou as informações e desligou o telefone. Olhou para Peter, tentando em vão conter a curiosidade.
- Que tipo de atividade?
Ela nunca ia para o campo, mas gostava de saber dos casos de campo da AGES. Ela conseguia meio que vivenciar tudo na sua cabeça.

Caron John Whirt | 33 anos | Agente

Estava quase chegando em seu apartamento quando recebeu a ligação de Jemma. Soltou um longo suspiro quando desligou o telefone e se dirigiu ao local informado, movendo-se com rapidez, mas tentando não chamar muita atenção.
De fato ele não estava muito longe, mas não sabia com precisão onde era esse lugar; pelo que se recordava, nunca estivera lá antes.
Algumas pessoas passavam por ele na rua, apesar de já serem quase dez da noite. Mas afinal, aquele era o centro de Londres.
Ele se perguntou quem mais se juntaria a ele ao trabalho. Por Deus, ele esperava que não fosse John Constantine.

Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

Ela olhou para a outra como se ela fosse louca. Quer dizer... Bem... É...
- Você está louca? Sai daí você também! - ela falou para a outra em voz baixa. - Você não pode ficar aqui sozinha e muito menos enfrentar quem quer que esteja aí! Vamos sair pela porta dos fundos!
Ela ia pegar o braço de Dorian e a arrastar para os fundos se fosse necessário, mas os dois últimos clientes restantes estavam fazendo um verdadeiro escândalo. Eles não entendiam que eles tinham de ficar quietos para aumentar a chance de saírem vivos dali?
Queria gritar para eles calarem a boca, mas como isso não fazia muito sentido, ela ficou quieta, até porque não queria chamar mais atenção para si.
Nesses fragmentos de tempo algo se moveu rapidamente em frente ao vidro do bar, numa velocidade anormal. Uma fração de segundos depois, de novo.
Sentiu o corpo enrijecer e gelar pensando no que estava à espreita.
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Ter Jul 21, 2015 11:03 pm


Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

Ela sabia que ele só estava dizendo aquilo sobre altura para pentelhá-la, já que ela tinha mesmo aquela altura.
Escutou sobre os seus seios e olhou para aquele ponto inexistente, antes de responder, ainda sem olhá-lo.
_ Não fique olhando para os meus seios _ disse, tentando fazer com que sua voz saísse firme...Aquilo teria volta. _ Eu sei que você é safado, querido.
Ele disse que não estava revelando nada e sim a blusa dela, certo, ela gostava de roupas com recortes, mas evitava de usar para ir trabalhar. Okay, a camisa branca de seda tinha um "v" bem marcado, mas era folgada.
_ Não tem nada marcado aqui, querido. Está tendo delírios, apenas por ter tara em seios _ rebateu, dando um gole na cerveja.
_ Podemos apostar quem consegue beber mais sem cair e quem vencer pode pedir qualquer coisa _ ofertou, ela era resistente ao álcool e tinha quase certeza da vitória e via a sua vingança ali.
O viu atender o celular e ficou quieta, bebendo a sua cerveja.




Peter Ives | Agente | 32 anos

Riu.
_ Se quiser eu posso achar os arquivos sobre seres do Egito _ ofereceu.
John atendeu.
_ Tem uma alerta de atividade perto do pub que você estão, é no café Shovel & Wolves Bar and Grill, fica há quinze minutos daí, Caron está a caminho, corram _ disse Peter rapidamente, enquanto olhava a tela e entrava no sistema de câmeras da região.

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Ter Jul 21, 2015 11:24 pm


John Constantine

–Tem certeza que não tem nada marcando aí? Não me importo de mostrar.. – falou enquanto movia sua mão na direção de onde supostamente a blusa dela estava marcando o sutiã, mas não chegou a tocá-la ou dessa vez sim ele morreria.

Ouviu mais sobre a tal aposta.
–Gostei disso. – falou -Espero que não se arrependa quando perder. – sorria malicioso enquanto pensava no que poderia pedir.
Logo mais ele estava no telefone com Peter escutando sobre a missão e logo desligando sem nem mesmo responder o outro.
–Temos trabalho. – falou com o sorriso morrendo –Alerta de atividade sobrenatural no Shovel  & Wolves. Caron está indo pra lá. – e dava pra notar o desgosto em sua voz ao dizer o nome do outro –Vamos. – falou se levantando –Dome, eu pago depois. – avisou a ruiva enquanto levava a morena consigo pra fora de lá.

Dorian H. Gray

Queria virar pra outra e dizer que nem mesmo se enfiassem uma bala direto em seu coração ela iria morrer, mas isso só faria Charles pensar que ela é ainda mais louca.
Os clientes que restaram gritavam desesperados, e aqueles gritos estavam realmente tirando a albina do sério. Dorian estava a ponto de quebrar o pescoço de cada um e jogar para o possível tarado da machadinha que havia matado o cliente que saiu dali.
Os gritos não paravam, ia ser assassinada por causa de dois histéricos.
–Calem a boca! – falou pra eles com a voz dura –Pra começar não estaríamos aqui a beira de ser assassinados pelo tarado da machadinha se vocês tivessem ido embora ao invés de ficar enrolando em um lugar que já está praticamente fechado. – não estava nem aí se iam todos receber machadadas de um maluco, não ia deixar eles morrerem e escaparem do esporro.
Pois é... Dorian não tem um conceito bem definido de prioridades...

Quando os clientes pararam de gritar e mudaram para choro copioso e orações de última hora a albina tentou olhar pelo vidro e tentar ver quem estava lá fora, porém o que quer que fosse não era humano, não podia ser... Não se movendo daquela forma.
A albina deu alguns passos para o lado, onde ela pisava ficava o rastro de sangue sobre o qual estivera de pé. Se aproximou da janela enquanto tentava olhar melhor lá fora, mas a iluminação da rua não ajudava (alguém devia mandar uma carta ao ministério reclamando da iluminação pública). Encostou uma das mãos no vidro enquanto se curvava tentando um ângulo de visão melhor, quando o que quer que estivesse lá fora a olhou de volta, com o rosto tão próximo do dela que apenas o fino vidro da janela os separava, tudo que a albina pode ver foi algo escuro e olhos que eram como orbes de fogo antes que aquilo voltasse a desaparecer e outra forte batida contra a porta pudesse ser escutada.

Steven Lancaster

As mensagens chegavam em seu celular uma atrás da outra, ele não queria ter que responde-las, era pra isso que tinha a junta de diretores, será que eles não conseguiam tomar uma decisão sem precisar contatá-lo?
Colocou o aparelho em modo silêncio, já que devido ao seu trabalho não podia desligá-lo.

A noite estava realmente tranquila, nem parecia a Londres de sempre, cheia de turistas que se divertiam visitando os “pontos mais mal assombrados”, se não estivesse enganado havia um ônibus que os levava e parava em todos esses pontos (sendo um deles diante de sua casa, uma antiga mansão que era conhecida por ser tão assombrada quanto a própria torre de Londres devido ao número de antepassados seus que morreram dentro daquelas paredes durante a guerra das Duas Rosas, quando criança ele cresceu convivendo com o que os adultos insistiam que não eram aparições e sim fruto da mente de uma criança solitária).
Mas deixou esses pensamentos de lado, agora precisava encontrar Bea, ver as novas fotos que a garota fez e decidir se compraria alguma. A escolha das imagens era algo que ele preferia fazer pessoalmente quando se tratava dessa fotógrafa em particular, havia algo no trabalho dela que ele não sabia exatamente como explicar.

Não demorou a chegar no café onde havia combinado de encontra-la. Sentou-se em uma mesa próximo da janela e aguardou a chegada da moça enquanto aproveitava uma xícara de café e observava o interior do estabelecimento através do reflexo no vidro da janela.

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Ter Jul 21, 2015 11:48 pm

Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

Ela esperou até que Peter houvesse desligado o telefone e pensou em responder ao que ele havia dito antes, mas repensou e não respondeu. Não queria fazer com que ele se sentisse obrigado a ajudá-la.
Deu mais um gole no café, que estava mais frio agora, e checou o horário no visor do celular antiquado. Quase dez da noite. Ela já deveria estar em casa há muito, mas ela não estaria fazendo nada de muito diferente. Provavelmente estaria com um livro tão antigo quanto o que se encontrava à sua frente.

Caron John Whirt | 33 anos | Agente

*pfvr, monólogo dele andando sozinho no frio noturno novamente*

Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

Charles olhava de olhos arregalados para Dorian que tivera coragem de se aproximar do vidro da vitrine para observar a rua.
- O que foi aquilo? - perguntou com a voz trêmula. Não havia conseguido ver o que quer que havia aparecido na frente de Dorian. Em seguida outra batida na porta. Então silêncio.
Por algum motivo que Charles não conseguiu entender exatamente, os dois clientes saíram correndo porta afora.
- O que vocês estão fazendo?! Ele está lá fora!
Mas ela não iria arriscar-se para ir resgatá-los. Deus, ela morreria antes de conseguir.
Alguns segundos depois um grunhido, um baque surdo e um grito que ecoou na noite.
- Dorian...? - ela perguntou com a voz fraquejante, quebrando o silêncio, os olhos começando a marejar. - Eu não quero morrer - falou mais para si do que para a garota.
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por ArabellaC. em Qua Jul 22, 2015 12:10 am


Clarisse Silveri | Agente | 23 anos

Seguiu com os olhos a mão dele, por alguns instantes pensou mesmo que ele iria tocar o seu seio e a ideia de bater a cabeça dele no balcão, voltou com força total, mas ele não o fez.
_ Está vendo coisas demais, querido _ foi o que disse, terminando a segunda caneca.
Deixaria ele pensar que ela não aguentaria aposta, seria mais fácil vencer.
Escutou sobre o alerta e no instante seguinte estava de pé, seguindo ele para fora do pub, indo até o carro, onde entrou e esperou que ele fizesse o mesmo, e assim que o fez, ela deu partida.



Peter Ives | Agente | 32 anos

Não demorou mais que alguns poucos segundos para invadir o sistema, as redes particulares eram mais simples.
_ A câmera não está mostrando nada, ótimo _ resmungou, acessando as internas, vendo quatro pessoas lá dentro.



Beatrice Ives | 21 anos | Fotografa

Tinha acabado de acordar, havia dormido boa parte do dia, já que não tinha aula as sextas e ultimamente estava tendo outra vez dificuldades para dormir, fazia anos que não se sentia assim tão...Inquieta.
Ela correu para o banho assim que lembrou-se da reunião, não poderia se atrasar, o senhor Lancaster era um cliente importante e desde que ela renegou o dinheiro da família, estava arcando com as despesas e aquele apartamento não era nada barato, visto a região e o conforto que ele proporcionava, tomou uma ducha rápida e se vestiu, passando nada mais que um rímel, gloss e blush no rosto e saindo as pressas com as fotos e o ultrabook na bolsa, desceu para o estacionamento e foi até o seu carro, logo dando partida. Trinta minutos depois chegou ao café e graças aos deuses estava na hora. Relaxou e entrou no café, avistando a mesa em que o moreno estava, sorriu e foi até ele.
_ Boa noite sr. Lancaster _ disse de forma cordial, apesar de que eles já se conheciam e tanta formalidade não era tão necessário, retirou da bolsa o envelope com as fotos e colocou sobre a mesa.

ArabellaC.
Admin

Mensagens : 1695
Data de inscrição : 20/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por LolitaRoger em Qua Jul 22, 2015 12:22 am


John Constantine

Entrou no carro com ela e logo pegava o bluetooth de ouvido o ligando e usando o celular para retornar a ligar para Peter.
–Qual a situação dentro do local, Jake? – foi a primeira pergunta que lançou assim que a chamada foi completada.

Clare dirigia mais rápido do que seria considerado seguro... Ou dentro das leis...
Mas ao menos assim eles chegavam rápido onde estava tendo o alerta, e que pelo imediatismo com o qual foram informados o loiro tinha quase certeza de que seria um dos grandes. Merda... Supostamente devia ser seu dia de folga.
Logo se aproximava da rua onde ficava o tal bar & grill.

–Pare aqui e vamos fazer o resto do caminho a pé. – falou pra morena –Assim não chamamos atenção. – e olhou pra ela –Tem alguma arma com você?

Dorian H. Gray

Ouviu a pergunta e olhou na direção de Charles enquanto se afastava rápido da janela.
–Eu não tenho ideia.. – falou com o lábio levemente trêmulo e logo o mordendo com força.
Não sabia o que era aquilo. Nem mesmo se lembra de alguma vez nesses últimos séculos ter visto algo como aquilo. Aqueles olhos....
Aquilo foi aterrorizador.
Ao olhar naqueles olhos sentiu que se tivesse uma alma a mesma conheceria o que é o inferno, e acredite, não é como nos livros: é bem, bem pior.

Viu os clientes correrem porta a fora, mas não fez menção de pará-los, nem mesmo piscou ao ouvir os gritos. Não é como se pudesse ajudá-los e compaixão e moralidade é para humanos, coisa que ela deixou de ser há muito tempo.
Porém mesmo assim não podia deixar Charles à própria sorte. São amigas, não vai abandonar a garota pra ser morta por alguma coisa saída das profundezas do inferno.
–Charles, você não vai morrer. Entendeu? Não vou deixar você morrer. – a albina prometeu.
O melhor seria fazer uma barreira na porta para ao menos retardar aquilo que estava do lado de fora. Provavelmente teria tempo para tal, já que ele devia estar ocupado dilacerando as vísceras dos clientes que tentaram correr.
Dorian empurrava uma mesa na frente da porta quando sentiu algo pesado em seu estômago, olhou pra baixo a tempo de ver algo que se assemelhava a uma pata imensa que a tocava ali antes das garras se afundarem na pele em sua barriga e rasga-la enquanto era jogada para o lado, seu sangue escorrendo por suas pernas numa quantidade absurda. Aquilo demoraria para regenerar...

Droga.. Não podia deixar aquela coisa chegar onde Charles estava.

Steven Lancaster

Ergueu os olhos de seu café os voltando para a garota que se aproximava de sua mesa assim que escutou a voz tão conhecida.
–Bea.. – disse em reconhecimento –Bela como sempre. – foi o cumprimento vindo dele enquanto a via depositar o envelope sobre a mesa –Direto aos negócios então. – falou com um sorriso de lábios comprimidos, ele gostava de pessoa diretas e que não perdem tempo enrolando quando tem algo mais prioritário a resolver.

Puxou o envelope para si o abrindo e observando os detalhes da primeira foto.
–Aceita um café? – indagou passando para a segunda foto e chamando a garçonete com um gesto simples da mão –Me fale um pouco sobre essas fotos. Posso ver que é um ótimo trabalho como de costume.

LolitaRoger
Admin

Mensagens : 1707
Data de inscrição : 18/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Daenis em Qua Jul 22, 2015 12:55 am

Jemma Park Willberg | 26 anos | Agente

Jemma arrastou um pouco sua cadeira de rodinhas para mais perto da mesa de Peter para olhar a tela do computador. Viu a imagem que as câmeras do local mostravam e estreitou um pouco os olhos, tentando ver melhor.
Ela viu duas pessoas saírem correndo para fora do lugar, mas as outras duas permaneceram. Pena que o vídeo não tinha áudio. Não muito tempo depois ela viu que uma das pessoas (que ela conseguiu identificar como duas garotas) havia sido atacada. Ela cobriu a boca com as mãos para sufocar um arquejo assustado.

Caron John Whirt | 33 anos | Agente

Caron estava quase chegando no bar and grill segundo as instruções que Jemma lhe dera quando viu um carro diminuir a velocidade e parar logo à frente. Ele reconheceu o carro como da Agente Clarisse e agradeceu por não ter sido Constantine que viera para ajudá-lo com o caso. Porém sua última salvação para a noite de sexta-feia foi por água abaixo quando o agente saiu do carro com aquele ar pretensioso que tanto irritava Caron.
Ele bufou e passou a mão nos cabelos curtos, andando em direção à eles.
- Boa noite - ele falou.
Esperava que os cumprimentos fossem rápidos e curtos, pois tinham pressa em cumprir a missão.

Charlotte "Charles" Ruth Middleton | 23 anos | Garçonete/aspirante à cantora

Charles largou o pano de prato e começava a se aproximar da garota para ajudá-la a fazer uma barricada quando viu que ela fora atacada. Um grito saiu de seus lábios antes que ela pudesse conter-se. Correu para onde ela havia sido jogada e a puxou consigo para trás do balcão, com um pouco de dificuldade. Deixara um rastro de sangue por todo o local e vez ou outra escorregava enquanto tentava ajudar a garota a ir até lá. Seu uniforme ficou completamente manchado de sangue, assim como suas mãos.
Ela se agachou ao lado de Dorian.
- Fique aqui agora! - ela disse chorona. - Eu vou ligar para a polícia!
E dizendo isso foi tirando o celular do bolso e discando o número da delegacia, as mãos e o corpo trêmulos.
- Você é humana, Dorian, como acha que vai lutar contra um bicho desses? - ela disse enquanto ninguém atendia.
avatar
Daenis
Admin

Mensagens : 112
Data de inscrição : 17/07/2015

Ver perfil do usuário http://ages.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AGES - Casos Sobrenaturais

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 40 1, 2, 3 ... 20 ... 40  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum